Minha definição ·MD

“Ela faz o tipo de mulher que só consegue ser oito ou oitenta, tudo ou nada, sim ou não, agora ou nunca mais. Com ela não tem esse papo de copo meio cheio ou meio vazio, ou tá ou não tá, sem enrolação. Não nasceu pra ser mais ou menos, não vê sentido em ser metade, meio termo, tanto faz. Não sabe ir com calma, se joga sem medo de onde vai cair. Às vezes se quebra inteira, mas nem liga, brinca que quem veio com dom pra vida não pode evitar vivê-la. E ela vive! Ah como vive… Quer tudo ao mesmo tempo, como se o universo todo fosse acabar amanhã.

É a mistura perfeita do amargo com o doce, a ogra mais carinhosa que o mundo já viu! É um pouco flor com uma parcela de rocha, metade bruta e metade meiga. É toda brava, cheia de querer dar ordens, mandar e desmandar e ai de quem ousar não fazer exatamente aquilo que ela quer. Tem o santo forte – e o gênio também, por isso não desiste fácil de nada do que quer. Corre atrás, vira noites, muda a terra de lugar, mas faz acontecer! Mimada que dói… Birrenta, teimosa, não sabe dar o braço a torcer, é orgulhosa, do tipo que não admite errar. Adora ser a dona da razão e odeia sair do eixo. É um furacão devastador que vira brisa de verão no mesmo dia, no mesmo instante. Uma confusão dessas de deixar qualquer um doidinho da silva! Xinga, bate o pé, reclama, faz bico e no segundo seguinte já tá rindo da cena ridícula que ela mesma cria.


Ela é maluquinha de tudo, mas tem o coração mais lindo que você vai conhecer! É dessas capaz de transformar o polo norte em deserto só com aquele sorrisão aberto que derrete qualquer um. Ela é aquela música boa que a gente escuta quando tudo vai mal e parece que traz a paz de volta. É calmaria no meio do caos e guerra em dias quietos demais. É cheia de incógnitas, enigmas, misteriosa, mas ao mesmo tempo é clara, simples. Não consegue fazer joguinhos, é transparente demais pra fingir que não quer, quando tá morrendo de vontade, ou que quer, quando não tá nem um pouco afim. Não faz o tipo que fica em cima do muro, nem que gosta de embromação, é sincera e direta. Doa a quem doer, que seja de uma vez.

Fala alto, chama atenção quando ri, fala palavrão como se fosse recurso linguístico e não tá nem aí pro que os outros vão pensar, vão dizer. Quero mais é que se dane! Não liga pra esse papo de ser o que não é só pra fingir educação pro resto do mundo. Ela é ela, com todos seus defeitos, meio resmungona, totalmente geniosa, com meia dúzia de sonhos quase impossíveis no bolso e o desejo de convencer o mundo das suas opiniões. E convence, viu!? Afinal, quem é que dá conta de não ficar hipnotizado com um mulherão daqueles? É toda segura, cheia de certezas, de pose, e deixa a gente de boca aberta só admirando aquele poder.


É dona de si, das suas vontades, dos seus desejos. Não abaixa a cabeça pra ninguém, não leva desaforo pra casa e nem engole aquilo que quer cuspir. Fala o que pensa, quando pensa. Tem como lema ser verdadeira com ela mesma, e é! Por isso não fica quando sente vontade de ir e nem vai quando o coração pede pra ficar. Sorte do cara que fizer ela querer estacionar a vida, e que ele não se esqueça nunca de que pra ir embora, é só dar a partida… e se for pra ser feliz, ela vai sem medo!”

– Gabriela Freitas

Estou seguindo… Como tem que ser!

As coisas acontecem e em meio aos acontecimentos enxerguei você. Nosso encontro foi condizente ao velho ditado: “água mole pedra dura… tanto bate até que fura” e assim fui fisgada, de certa forma aos poucos; foram dias relutando por algo que achava nao estar acontecendo. A cada esbarro, uma confusão mental. Vivia noites admirando suas fotos no instagram, dava print e te enviava; com tamanha ingenuidade que ainda não havia percebido o tal do amor chegar. Um dia, ao observar sua foto me indaguei: estaria eu apaixonada?! Será?! Mas não havíamos tido nada ainda. Como assim?!

Os dias passaram e o que menos se previa já estava acontecendo; o sentimento mais lindo estava se fazendo presente em nós. Foram dias encantadores e ao mesmo tempo fugazes, nos entendíamos pelo olhar; olhar esse, recíproco e cheio de pureza, emanávamos o amor, antes mesmo de nos beijarmos, de nos tocarmos.
Nosso verdadeiro encontro, nosso enlace nao foi como desejávamos, mas foi um encontro de almas. Uma noite que jamais esquecerei, assim como aquela manhã que desejava a sua permanência, mas não deu e logo vc se foi, sem ao menos tomar “um gole de café” (café que tu nem bebe rsrs) é que eu queria mesmo era a sua presença.

Um dia decidiu me deixar ciente, uma certa dificuldade no falar, a sua timidez queria ocultar, mas seu coração me dissera; o que eu também já sentia.
Mas o que parecia ser lindo de vivermos, foi-se esvaindo aos poucos, porque mesmo nascendo um sentimento, haviam coisas mal resolvidas lá fora, tanto pra mim quanto pra você.

Eu, deixei bem claro qual seria minha decisão. Você também dissera o mesmo. Mas me decepcionou com suas controvérsias e me deixava mais confusa do que já estava. Seu afastamento, as suas indecisões e mais ainda; suas confusões com as coisas de fora… deixavam-nos distantes.

(Talvez vc nem leia isso ou se acaso estiver… Sim, esse texto é pra vc!)

Como eu poderia decidir algo, se vc me mostrava o contrário?

Interrompemos o que poderíamos estar vivendo, encerramos algo que sequer demos a chance de começar.
Nao houvera um fim, um término dito face a face, apenas paramos de nos falar com a mesma intensidade.

Cansei de tentar, de insistir, de te convencer. Nossa relação foi se acabando na falta de cuidado e decisões. Entao preferi deixar você em paz e seguir, mesmo sentindo algo forte por ti. Você não sabe o quão difícil foi suportar a sua ausência, sua indiferença. Confesso que passei meses me sentindo perdida, com o peito dilacerado, porque o que mais queria naquele momento era a sua presença.

Fui verdadeira aos meus sentimentos, mas você constatei em suas contradições.
Me feri, me senti naufragando num oceano que me propôs navegar e com o tempo percebi que estava sozinha em alto mar.

Então segui… continuávamos nos esbarrando e te ver era uma luta interna pra mim. Decidi lhe deixar em paz e estar em paz comigo. Seria inconsequente da minha parte dizer que deixei de lhe admirar, sentir algo por ti. Não, claro que não. Mas aprendi a deixar o sentimento bem guardadinho, numa parte mais subterrânea do coração.

Nosso envolvimento foi marcado pela brevidade; ficam em nós o carinho, o respeito e sem mágoa, mas ninguém merece um romance pela metade. Nós não merecemos, mas deixou saudade sim!

Gosto de ti como é, mesmo não compreendendo certas vezes, mas respeito seu pensar e tenha a certeza que o carinho especial que tenho a ti, será eterno.
Você sabe que em qualquer lugar estarei pensando em você, por mais distante que eu pareça estar.

Agradeço por entrar em meu mundo.
Pode ser que daqui a um tempo a gente se reencontre com outro pensar e se acaso tu quiser fazer parte dele novamente; faremos girá-lo com a mesma intensidade.
Mas por hoje… decidi enxergar a minha vida e te garanto; estou seguindo como tem quer ser!

·Milla Diaz

Pensamento particular

Vontade em expor o que sinto.
Me faltam as palavras… a interligação delas, para compor meu pensamento particular.
Não me refiro às composições, mas àquilo que de quando em vez, nos torna absortos na vida.

Inspiração?!
Passou longe a meu favor!
kkkk

Eis um texto que publiquei em 17 de abril de 2011, (até o Facebook colabora com nossos propósitos Kkkkk) e que de alguma forma, retrata o que quero dizer nesse momento:

“Tem coisas que as Palavras não dizem, somente o Olhar expressa e o carinho confirma.

Há momentos em que as Palavras não são necessárias…
E o Silêncio acolhe.

Conexões internas…

Esse é o absurdo Segredo da Escuta:
É preciso Não escutar o que se Diz para se poder Ouvir o que ficou Não-Dito; a Música.

É na Música…que mora a verdade daquele que Fala.”